Seguro Rural apresenta crescimento de 50,3% no primeiro trimestre de 2022

Esse aumento na procura está, principalmente, relacionado ao fato do seguro indenizar os produtores rurais quando há perda de safra em decorrência de eventos climáticos, bem como por conta do programa de subvenção do governo federal, onde é dado um auxílio financeiro aos produtores

A procura por Seguro Rural apresentou um crescimento de 50,3% no primeiro trimestre de 2022, na comparação com o mesmo período do ano passado. É o que garante a Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg), que explica que esse aumento é atribuído, principalmente, ao aumento da demanda.

Vale lembrar que, após encerrar 2021 com arrecadação de R$ 9,6 bilhões em prêmios e crescimento recorde de 40%, o Seguro Rural iniciou 2022 com novas altas expressivas na demanda e no pagamento de sinistros. No primeiro bimestre de 2022, o montante arrecadado ultrapassou R$ 1,7 bilhão, configurando um avanço de 101,1% em relação ao mesmo período de 2021. Já os sinistros atingiram a marca de R$ 4,8 bilhões em indenizações pagas até fevereiro desse ano, representando expressiva alta de 676,5% na comparação interanual.

Com o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) para o exercício de 2022 - , divulgado recentemente pelo Ministério da Agricultura, um maior número de produtores poderá contratar o Seguro Rural, que cumpre importante papel no campo, sobretudo quando suas garantias alcançam pequenos e médios produtores rurais. Vale lembrar que o programa oferece ao agricultor a oportunidade de segurar sua produção com custo reduzido, por meio de auxílio financeiro do governo federal.

Vitor Hugo Planelis, da VHP Corretora, explica que esse crescimento no seguro rural também está relacionado ao aumento na produção agrícola do país, bem como no aumento da oferta no produto. Além disso, as constantes mudanças climáticas também influenciaram para esse crescimento. "As lavouras produzem mais, porém estão igualmente expostas e vulneráveis as mudanças climáticas, mesmo com os novos recursos e grande avanço em tecnologia, nada substitui uma apólice de seguros".

Como funciona o seguro rural?

O Seguro Rural contempla os seguros Agrícola, Florestal, Pecuário, Animais e de construções, bem como de equipamentos e máquinas de áreas rurais. Contudo, o maior deles em valor de prêmio e que também teve o maio percentual de crescimento é o agrícola justamente em decorrência do eventos climáticos como geada, granizo, excesso de chuva e seca, dentre outros.

A cobertura do seguro agrícola se inicia no momento do plantio/transplante/poda e vai até a colheita, podendo ser contratado para um percentual da produção ou utilizando um percentual de franquia. Ambas as formas cobrem as perdas da safra buscando manter o agricultor na atividade, pois, com a indenização do seguro, o agricultor pode pagar seu financiamento, os insumos (fertilizantes, sementes e defensivos) adquiridos ou arcar com os demais compromissos assumidos.

No ano de 2021, diversos eventos climáticos atingiram e comprometeram a produção de diversas culturas agrícolas, como foi o caso do milho segunda safra (safrinha), das hortaliças (principalmente do tomate), do café e da soja. Como resultado, as indenizações do seguro agrícola demonstraram o quanto este seguro é fundamental para atender a atividade agrícola. Sem ele, esses valores de perdas seriam assumidos pelos agricultores e impactariam ainda mais nos valores de auxílio do Governo Federal para o setor agrícola.

Instagram: @gpb_oficial | Facebook: grupopecuariabrasil | Youtube: Canal GPB - Grupo Pecuária Brasil

Por Natália de Oliveira/Agrovenki
Crédito da foto: Divulgação

Leia outras notícias no Blog do GPB